Turismo de excelência

Durante muito tempo, os Açores foram uma porta de entrada para pessoas e bens entre a Europa e a América do Norte, estrategicamente localizados no Atlântico Norte. A emigração açoriana para a América do Norte nos séculos XIX e XX originou uma segunda e uma terceira geração de emigrantes descendentes dos Açores e as suas novas famílias alimentam importantes fluxos turísticos dos EUA e do Canadá para os Açores. 

Hoje em dia, os Açores são um destino turístico de excelência, que tem merecido reconhecimento ao nível internacional, com a atribuição de diversos prémios e distinções. Com a entrada em vigor de um novo modelo de acessibilidades à Região em março de 2015, verificou-se um impulso significativo no número de entradas de turistas, estimulando a abertura de novos empreendimentos e negócios turísticos. O número total de dormidas aumentou de 1.231.247 para 2.384.687, entre 2014 e 2017, representando uma taxa média de crescimento anual de 24,7% (Observatório do Turismo dos Açores, 2017). Os proveitos totais na hotelaria registaram igualmente aumentos significativos. Tal veio dinamizar a economia local, aumentar o relacionamento intercultural, interna e externamente, e sensibilizar os habitantes locais para a necessidade de se manter a sustentabilidade do turismo e um ambiente amigável num nível elevado. Subjacente está a mobilização de bons recursos humanos existentes (bons serviços), as belezas das paisagens que a mãe Natureza oferece, a tranquilidade, a segurança, a gastronomia, os trilhos pedestres, as atividades lúdicas (i.e., observação de baleias e golfinhos, pesca), o valioso património construído e a cultura.

Os Açores foram considerados o local mais belo do mundo (National Geographic Traveler, 2016), o Hawai da Europa (Naves, 2018), um dos dez destinos turísticos mais sustentáveis ​​do mundo e o melhor destino do Atlântico (Destinos Verdes, 2018), um dos cem destinos mais sustentáveis ​​do mundo e o primeiro da Europa (TravelMole, Vision on Sustainable Tourism, Totem Tourism, & Green Destinations, 2014) e uma das 7 maravilhas à mesa (Diário da Lagoa, 2018).

A Associação dos Geoparques dos Açores criou novos serviços, escalas e produtos interpretativos, implementando um geoturismo de qualidade na região, em estreita ligação com outros aspectos do turismo de natureza (i.e., associação dos Açores a um destino de natureza intacta) e espera-se que os Açores sejam o primeiro arquipélago do mundo a ter o selo do Conselho Global de Turismo Sustentável, já em 2019 (Jornal Expresso, 2017).

Ana Isabel Moniz, Sheila Furtado e Carlos Santos

2018

Para mais informações sobre o turismo nos Açores, clique no seguinte link:

https://www.visitazores.com/pt